advocacia criminal rj
Menu

Quarta Turma concede habeas corpus para evitar recolhimento de bebê em abrigo até definição sobre guarda

Com base no princípio do melhor interesse da criança, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) concedeu habeas corpus para evitar o recolhimento de um bebê em abrigo e mantê-lo sob os cuidados do casal com o qual convive, até que o mérito da ação de guarda seja julgado.

O habeas corpus foi impetrado pelos guardiões da menina – então com menos de oito meses de idade – para afastar a determinação de busca e apreensão. Em dezembro de 2018, o STJ deferiu liminar para que a criança fosse colocada sob a guarda dos impetrantes.

Segundo os autos, os pais biológicos não teriam condições psicológicas e financeiras de cuidar do bebê. A mãe é soropositiva, e a menina nasceu com severas complicações de saúde, necessitando de tratamento para toxoplasmose e infecção urinária recorrente.

Os pais a entregaram ao outro casal com um mês de vida. Na tentativa de regularizar a situação, o casal ajuizou pedido de guarda, com a concordância dos genitores.

Em ação proposta pelo Ministério Público, foram determinados a busca e apreensão da criança e o seu recolhimento a um abrigo. De acordo com a ordem judicial, houve burla ao cadastro de adoção.

Melhor interesse

O relator, ministro Luis Felipe Salomão, afirmou que, para o Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei 8.069/1990), é imperativa a observância do melhor interesse do menor. Medidas como o acolhimento institucional (artigo 101) apenas devem acontecer quando houver ameaça ou violação de direitos (artigo 98).

Segundo o relator, a excepcionalidade do caso justifica a concessão do habeas corpus. Para o ministro, a manutenção da guarda da menor com o casal não representa situação concreta de ameaça ou violação de direitos, pois não há nos autos nada que demonstre ter havido exposição da criança a riscos contra sua integridade física e psicológica.

“Esta corte tem entendimento firmado no sentido de que, salvo evidente risco à integridade física ou psíquica do infante, não é de seu melhor interesse o acolhimento institucional ou o acolhimento familiar temporário”, destacou.

O ministro disse ainda que, em casos análogos, o STJ aplicou o princípio do melhor interesse da criança e do adolescente para relativizar a obrigatoriedade da observância do cadastro de adotantes.

“Diante desse contexto, tenho que a hipótese excepcionalíssima dos autos justifica a concessão da ordem, porquanto parece inválida a determinação de acolhimento institucional da criança em abrigo ou entidade congênere, uma vez que, como se nota, não se subsume a nenhuma das hipóteses do artigo 98 do ECA”, concluiu Salomão.

O número deste processo não é divulgado em razão de segredo judicial.

Fonte: STJ

ADVOCACIA CRIMINAL RJ

SERVIÇOS E ATENDIMENTOS

HABEAS CORPUS
Habeas corpus é um remédio jurídico para proteger indivíduos que estão tendo sua liberdade infringida, é um direito do cidadão, e está previsto na Constituição Brasileira.
Click Here
Relaxamento e Revogação de Prisões
O direito ao relaxamento ocorre quando alguma circunstância legal não é observada, e com isso a prisão se torna ilegal. Por outro lado, o instituto da revogação, não observa se a prisão foi ilegal, e sim, se estão presentes os fundamentos e requisitos dos artigos 312 e 313 ambos do CPP que autorizam a prisão preventiva, na ausência deles, e com base no princípio da inocência insculpido na nossa Constituição, é direito da defesa requerer a revogação, por entender ser a prisão a exceção.
Click Here
Atendimento junto a Delegacias Policiais
Os procedimentos em sede de delegacias, apesar de mitigarem o contraditório e ampla defesa, é um momento muito importante, uma vez que nesta fase serão colhidas as provas, depoimentos e demais peças que oportunamente poderão dar ensejo a uma denúncia por parte do Ministério Público, e por tanto, iniciar uma Ação Penal. Desta feita, é de suma importância o acompanhamento e orientação por um advogado nesta fase.
Click Here
Audiências de Custódia
Audiência de Custódia, consiste na apresentação do preso a um juiz nos casos de prisões em flagrante. Durante a audiência, o juiz analisará a prisão sob o aspecto da legalidade, da necessidade e da adequação da continuidade da prisão ou da eventual concessão de liberdade, com ou sem a imposição de outras medidas cautelares. (Fonte CNJ). Nesta oportunidade caberá a defesa demonstrar se ocorreu ilegalidade, e mesmo não ocorrendo, comprovar para o Magistrado que o acusado não preenche os requisitos dos artigos 312 e 313 CPP, e requerer a liberdade provisória.
Click Here
Plantão Judicial
O plantão judicial é voltado para os fatos excepcionais ocorridos fora do expediente Forense normal. No plantão são postulados direitos urgentes que não podem esperar, a exemplo de prisões que por um ou outro lado, se mostrem indevidas ou desnecessárias.
Click Here
JECrim – Juizados Criminais
Nos Juizados Especiais Criminais são julgados os casos de menor potencial ofensivo em que a pena máxima não ultrapasse dois anos. Neste procedimento existe a possibilidade de ocorrência de três institutos: Composição Civil dos danos, Transação Penal e Suspensão Condicional do Processo. Cada instituto deverá ser verificado de acordo com o caso concreto, estes institutos criminais possuem natureza despenalizadora, e precisam ser mais utilizados e incentivados.
Click Here
Recursos Justiça Estadual e Federal
Duplo grau de jurisdição é um princípio do direito processual que garante a todos os cidadãos jurisdicionados, a reanálise de seu processo, administrativo ou judicial, geralmente por uma instância superior, e possivelmente colegiada, ou seja, mais de um Juiz ou Desembargador. Na maioria das vezes, analisando o caso concreto, e devido o princípio do reformatio in pejus, a interposição de um recurso pode transformar um resultado prejudicial em favorável, ou melhorar o resultado que já se possui.
Click Here
Varas e Júris Criminais
Disponibilidade para atuação em todas as varas criminais no Estado do Rio de Janeiro não importando a localidade. Da mesma forma, temos advogado em nossa equipe com experiência em Tribunais de Júri nos crimes dolosos contra a vida, possuindo traquejo no que tange a este procedimento especial.
Click Here
Recursos: STJ e STF
STJ e STF são nossos Tribunais superiores e especiais, e também estão inseridos no direito do cidadão ao duplo grau de jurisdição, ou seja, a reanálise da decisão de um Tribunal de instância inferior, caso a decisão seja submetida a apreciação deles. Aqui da mesma forma opera o princípio do reformatio in pejus. O STJ atua no intuito de observar se a Legislação Infraconstitucional, quero dizer, todo texto de lei que não esteja inserida na Constituição Brasileira foi aplicada de forma correta. Por outro lado, o STF possui o intuito dever de observar se todos os preceitos constitucionais foram aplicados. Neste sentido, estes Tribunais são os melhores para se buscar a reforma de uma decisão prejudicial, contudo, repeitando o processo legal, não se pode suprimir instâncias, devendo assim a defesa percorrer todos os caminhos na busca de uma decisão favorável, desde o juiz singular até o STJ e STF.
Click Here
Vara de Execução Penal – VEP
Como fator principal, após o tombamento da CES na VEP, é necessário sempre atenção as datas, com acompanhamento constante, uma vez que elas aliadas a outras circunstâncias, podem possibilitar ao apenado o direito a progredir para um regime mais benéfico, até por fim, ficar em liberdade. Caso já tenha direito a progressão, ou a outro beneficio legal, não deixe o tempo passar, pois a liberdade é o nosso maior bem depois da vida.
Click Here
advocacia criminal rj

MARCELO VASCONCELOS © Copyright 2019 

DIREITOS RESERVADOS

WhatsApp chat